file72112565899201

Pare de Pensar e Comece a Colocar as Coisas em Prática: O Poder de Praticar Mais.

Adaptado do artigo original de James Clear: Stop Thinking and Start Doing: The Power of Practicing More.

Todos nós temos objetivos que queremos alcançar em nossas vidas. Estes podem incluir aprender um novo idioma, começar uma alimentação saudável, perder peso, tornar-se um pai ou uma mãe melhor, economizar mais dinheiro, e assim por diante.

Pode ser fácil supor que a diferença entre onde você está agora e aonde você quer chegar é devido à falta de algum conhecimento. Por isso, que muitas vezes compramos cursos sobre como começar um negócio ou como perder peso rápido ou como aprender um novo idioma em três meses. Nós presumimos que se conhecêssemos melhor uma estratégia, então conseguiríamos melhores resultados. Nós acreditamos que um novo resultado depende de um novo conhecimento.

O que eu estou começando a perceber, no entanto, é que um novo conhecimento não necessariamente conduz a novos resultados. Na verdade, aprender algo novo pode ser realmente uma perda de tempo se seu objetivo é progredir e não simplesmente ganhar conhecimento adicional. Tudo se resume na diferença entre aprender e praticar.

A diferença entre aprender e praticar.

No livro de Thomas Sterner, O Exercício da Mente (áudio livro), Sterner explica a principal diferença entre praticar e aprender.

“Quando nós praticamos alguma coisa, somos envolvidos na repetição deliberada de um processo com a intenção de alcançar um objetivo específico. As palavras deliberadas e a intenção são a chave neste caso, porque elas definem a diferença entre praticar algo e aprender algo.” – Thomas Sterner, O Exercício da Mente.

Aprender algo novo e praticar algo novo talvez seja muito parecido, mas são dois métodos que podem ter resultados profundamente diferentes. Aqui estão algumas maneiras adicionais para pensar sobre essa diferença.

  • Vamos dizer que seu objetivo é ficar mais forte e mais magro. Você pode pesquisar as melhores instruções com um personal training, mas a única maneira de alcançar seu objetivo é praticar levantando peso e fazendo atividades aeróbicas.

  • Vamos dizer que seu objetivo é conquistar mais clientes para fazer sua startup crescer. Você pode aprender sobre a melhor maneira de fazer um pitch de vendas, mas a única maneira de conquistar clientes é praticar fazendo chamadas de vendas.

  • Vamos dizer que seu objetivo seja escrever um livro. Você pode conversar com o autor campeão de vendas sobre como escrever, mas a melhor maneira de tornar-se um grande escritor é praticar publicando regularmente.

A aprendizagem passiva cria conhecimento. A prática ativa cria habilidade.

Vamos considerar mais três razões para priorizar a prática ativa sobre o aprendizado passivo.

1. Aprender pode ser a “muleta” que sustenta a falta de ação.

Em muitos casos, aprendizagem é na verdade uma maneira de evitar tomar ações sobre os objetivos e interesses que dizemos ser importantes para nós. Por exemplo, vamos dizer que você quer aprender outro idioma. Ler um livro sobre como aprender outro idioma rapidamente permite você sentir como está sendo seu progresso. (“Olá, Eu descobri o melhor jeito de fazer isto!”). Mas, na verdade, você não está praticando a ação que entregaria o resultado desejado que é falar um outro idioma.

Em situações assim, nós frequentemente declaramos que estamos nos preparando ou pesquisando o melhor método, mas estes argumentos nos dão a sensação que estamos avançando quando na verdade não fizemos nada para nos aproximar do resultado desejado. Nós cometemos o erro de ficar apenas planejando ao invés de agir. Aprender é valioso até tornar-se uma forma de procrastinação.

2. Praticar é aprender, mas aprender não é praticar.

Aprender passivamente não é uma forma de prática porque embora você ganha novo conhecimento, você não está descobrindo como aplicar este conhecimento. Praticar ativamente, no entanto, é umas das melhores maneiras de aprender, porque os erros que você comete enquanto está praticando revelam-se importantes insights.

Ainda mais importante, a prática é o único modo de fazer uma contribuição significativa ao seu conhecimento. Você pode assistir um curso à distância sobre como construir um negócio ou ler um artigo sobre um desastre terrível em alguma região mais pobre, mas aquele conhecimento é improdutivo, exceto se você, de fato, abre um negócio ou doa para aqueles que necessitam. Aprender por si mesmo pode ser valioso para você, mas se você quer ser valioso para os outros, então, você deve expressar seu conhecimento de algum modo.

3. Praticar faz concentrar sua energia no processo

“Progresso é o resultado natural de manter-se concentrado no processo de fazer algo.” – Thomas Sterner, O Exercício da Mente.

O estado da sua vida agora mesmo é um resultado dos hábitos e crenças que você praticou dia-a-dia até hoje. Quando você percebe isto e começa a direcionar seu foco para a prática de melhores hábitos todos os dias, o progresso contínuo será o resultado lógico. Não são as coisas que nós aprendemos nem os sonhos que nós visualizamos que determinam nossos resultados, mas sim aqueles hábitos que nós praticamos a cada dia. Apaixone-se pela prática diária e concentre sua energia no processo, não no produto.

O Ponto de Partida

Aprender passivamente é inútil? Claro que não. Em muitos casos, aprender em prol da aprendizagem pode ser muito útil. Sem mencionar que absorver novas informações pode ajudá-lo a ficar mais informado para tomar alguma decisão.

Disto isto, o principal ponto deste artigo é que aprender por aprender não conduz ao progresso. Nós frequentemente nos escondemos atrás das informações e usamos o aprendizado como desculpa para adiar maiores dificuldades e escolhas mais importantes que realmente nos conduzirão a alguma coisa. Gaste menos tempo com aprendizagem passiva e mais tempo com prática ativa, em outras palavras, pare de pensar e comece a fazer.

Comentários

comentários